Violão Velho

Saturday, April 01, 2006

Vídeo: Bob Dylan - "Not Dark Yet"

Sábado é dia de vídeo. E hoje, clipe de uma belíssima música do álbum Time Out of Mind (para manter o clima festivo do blog...).


Clique aqui para letra da música


DOWNLOAD - Bob Dylan "Not Dark Yet" (Turboupload)


Thursday, March 30, 2006

Tim Buckley - Happy Sad (1969)

Poucas vezes vi um disco com um nome tão simples mas ao mesmo tempo tão apropriado quanto esse. Tim Buckley, compositor que teve sua carreira moldada por influências de folk e jazz, nos presenteou com sua obra-prima em 1969: Happy Sad.

"I got this strange strange feelin’
Deep down in my heart
I can’t tell what it is
But it won’t let go
It happens every time
I give you more than what I have
But now all I need is a little time to sing this song
And I think we’re gonna find a way to lose this strange feelin’"


Estar feliz e triste em um mesmo momento é, de fato, uma das sensações mais estranhas e marcantes que se pode ter. E também uma das mais intensamente poéticas.

"Just like a buzzin’ fly
I come into your life
Now I float away
Like honey in the sun
Was it right or wrong
I couldn’t sing that song anyway

Oh, but darlin’
Now I remember
How the sun shown down
And how it warmed your prayin’ smile
When all the love was there

You’re the one I talk about
You’re the one I think about
Everywhere I go
And sometimes honey
In the mornin’
Lord, I miss you so"


Baixe e saiba do que estou falando.

01. Strange Feelin' (7:41)
02. Buzzin' Fly (6:03)
03. Love From Room 109 At The Islander (On Pacific Coast Highway) (10:49)
04. Dream Letter (5:12)
05. Gypsy Woman (12:19)
06. Sing A Song For You (2:39)
Link AMG

DOWNLOAD - Tim Buckley - Happy Sad

Wednesday, March 29, 2006

Arnaldo Baptista - Lóki? (1974)

"...Geralmente quando um artista entra em um momento de tal nostalgia e introspecção, concebe logo em seguida sua obra prima..." (Esch – Paul Weller / Stanley Road)

Esse é exatamente o caso aqui. Num dos momentos mais confusos da sua vida, Arnaldo Baptista concebe o que seria sua obra prima: o seu primeiro disco solo, "Loki?". Nunca , na música brasileira, um disco tinha sido tão confessional quanto este. Humor, loucura, sarcasmo e amargura aparecem em doses exatas. Um disco que pode ser traduzido como a trilha sonora da loucura e do sofrimento. Um marco não só do rock brasileiro, mas um marco da música brasileira como um todo.

Tracklist:
01. Será Que Eu Vou Virar Bolor?
02. Uma Pessoa Só
03. Não Estou Nem Ai
04. Vou Me Afundar Na Lingerie
05. Honky Tonky (Patrulha Do Espaço)
06. Cê Ta Pensando Que Eu Sou Loki?
07. Desculpe
08. Navegar De Novo
09. Te Amo Podes Crer
10. É Fácil


AMG link

DOWNLOAD (megaupload)

Monday, March 27, 2006

Lou Reed - Berlin (1973)

Berlin foi apelidado por Lester Bangs como "o álbum mais depressivo de todos os tempos", ok, aí pode existir um certo exagero, mas de fato Berlin não é um disco fácil. Alias, fácil realmente não seria o adjetivo apropriado quando nos referimos a Lou, pois seus trabalhos estão cheios de decisões de difícil compreensão, e rumos inesperados na sua carreira. Berlin é um “disco problema”, começando pelos arranjos esquisitões do produtor Bob Ezrin cheios de metais e cordas, e um piano narcótico, e obviamente terminando com letras nada usuais, sobre espancamento, drogas, problemas judiciais e obviamente a morte. Berlin não é um disco “legal” de se escutar, mas é de extrema importância ouvir o Duende Patético da Morte.

Este trecho do livro “reações psicóticas” de Lester Bangs, ajuda a entender um pouco de Berlin.

"Lá estava ele [Reed], esparramado em sua cama, cercado pelo seu bando, roadies e puxa-sacos assim como uma coisa estranha e meio feminina que o acompanhava à mesa durante o jantar, que eu havia primeiramente confundido com Bárbara e que agora eu conseguia olhar mais de perto. Dava vontade de, ao mesmo tempo, virar o olhar para o outro lado e se embasbacar em silêncio. À primeira vista eu tinha pensado que se tratava de alguma grande e escura morena européia de longos e espessos cabelos caindo pelos ombros. Então reparei que ela tinha uma barba e pensei na hora, bom, bacana, a mulher barbada com Lou Reed, combina bem. Mas agora eu a via ainda mais de perto e era sem sombra de dúvida um cara. Exceto que, por baixo de sua blusa transparente, parecia haver umas tetas. Ou alguma coisa do gênero. Era muito além de bizarro, entre luz e sombras. Era grotesco. Não era apenas grotesco, era abjeto como algo que poderia haver entrado rastejando furtivamente quando Lou abriu a porta de casa para pegar o leite e os jornais da manhã e simplesmente acabou ficando. Como um cão que você poderia chutar ou acariciar a cabeça, qualquer um desses gestos pouco importa porque toda forma de atenção ou reconhecimento de sua própria existência. Puramente estranha, uma senhora carga de espanto profano. Se o álbum "Berlim" fosse derretido numa fornalha e re-moldado em forma humana, seria essa criatura".

1 Berlin 3:24
2 Lady Day 3:39
3 Man of Good Fortune 4:38
4 Caroline Says I 3:57
5 How Do You Think It Feels 3:42
6 Oh Jim 5:14
7 Caroline Says II 4:13
8 The Kids 7:55
9 The Bed 5:51
10 Sad Song 6:55

AMG Link

Lou Reed - Berlin - Download